Fazendo uma entrevista por vídeo

Com a evolução tecnológica, o mundo mudou e todos tiveram de se adaptar às novidades e, especialmente, às facilidades. Nos processos seletivos, não foi diferente. Hoje até existem programas e aplicativos específicos para entrevistas on-line e mesmo envio de vídeo-currículos ou de respostas gravadas em vídeo. Ainda assim, as ferramentas mais usadas para entrevistas por vídeo continuam sendo o Skype e o WhatsApp, que facilitam a vida de recrutadores e de candidatos, evitando perda de tempo e gastos com locomoção para entrevistas presenciais ou mesmo para que seja feita mais uma seleção antes da entrevista presencial.

Há candidatos que expressam nervosismo tanto em entrevistas presenciais como em entrevistas por Skype ou WhatsApp. Mas há como reduzir esta tensão?

Sim! Sugere-se que o candidato faça simulações com alguém do outro lado da tela, trabalhando a comunicação e a postura. Deve também aproveitar a simulação para checar se a transmissão de som e imagem está adequada, evitando desperdício de tempo e nervosismo, causados por problemas técnicos. Com isso, evitará transtornos e perdas de oportunidades.

Nas entrevistas presenciais, o candidato precisa ter o cuidado de não chegar atrasado e estar vestido de acordo com os requisitos da vaga.

Na entrevista via Skype ou WhatsApp, isso não muda.

Nesse caso, a fim de se garantir a funcionalidade da entrevista, além dos cuidados já conhecidos, outros são recomendados: checar se o computador, celular ou tablet estão em perfeito funcionamento e zelar pela qualidade de imagem, de áudio, de conexão de internet e de posicionamento da imagem.

Prepare-se para evitar más impressões e falhas na hora da entrevista

Tudo deve ser testado antes da data agendada para a entrevista e novamente minutos antes da entrevista efetiva. Assim, eventual problema técnico detectado poderá ser resolvido a tempo, com o auxílio de assistência técnica qualificada, poderão ser buscadas alternativas ou mesmo avisar com antecedência de eventual impossibilidade de realização no horário agendado.

Além disso, como já mencionado, as entrevistas on-line também exigem cuidados com a pontualidade e com a aparência (como higiene e vestimenta adequadas), pois o(a) recrutador(a) sempre espera encontrar pessoas que valorizam as oportunidades e estejam preocupadas em causar boa impressão.

Participar de uma entrevista, sem sair de casa, não dá ao candidato a liberdade de usar trajes informais ou caseiros, como camiseta regata, boné ou bermuda. Utilize roupa adequada à vaga, social se for o caso. Observe se a roupa está com boa aparência: limpa, sem rasgos e bem passada. Deve-se pentear o cabelo e, no caso de mulheres, recomenda-se o uso de maquiagem suave. Pequenos cuidados, além de causar boa impressão, denotam respeito ao(à) recrutador(a) e valorização à oportunidade.

O cuidado com o ambiente onde a entrevista será realizada também é fundamental. O ideal é utilizar espaço limpo, organizado e, preferencialmente, com fundo de parede lisa. Objetos de uso pessoal ou inapropriados ao ambiente de trabalho devem ser afastados do campo de alcance da câmera. Locais como cozinhas ou lavabos não são recomendados.

Além disto, locais barulhentos ou com pessoas transitando devem ser evitados. Caso haja outras pessoas no local, informe sobre a entrevista, evitando interrupções, ruídos externos e até mesmo a utilização da internet de modo que possa prejudicar a qualidade da conexão e, por consequência, a entrevista – por exemplo, evite que outras pessoas estejam baixando ou subindo arquivos ou assistirem programas ou seriados por streaming (como a Netflix) durante a sua entrevista. Sugerimos, ainda, fechar portas e janelas que possam vazar sons (inclusive externos) e interferir na entrevista.

Se houver um problema técnico, não entre em pânico: espere um pouco para ver se a conexão se reestabelece ou se há um problema temporário. Se a situação permanecer, tente mandar uma mensagem (pelo próprio Skype, WhatsApp ou por SMS) para o entrevistador informando da perda da comunicação e, se necessário, reinicie o Skype ou WhatsApp, o computador / tablet / celular, seu roteador ou até mesmo mude de conexão WiFi para dados, se for o caso. Quando tudo estiver reestabelecido, tente retomar o contato com o(a) entrevistador(a). Se não conseguir, mande outra mensagem ou mesmo um e-mail informando e pedindo para marcar uma nova entrevista, se possível a seguir. Problemas acontecem e todos sabemos disto.

A comunicação é primordial e eliminatória. Além da qualidade do áudio, o candidato deve atentar ao volume adequado da própria voz, que, em razão de timidez, pode ficar inaudível ao entrevistador. O candidato também pode trabalhar esta questão, antecipadamente, em um processo de simulação de entrevista, o que lhe permitirá realizar o ajuste de voz e a adequação da postura.

Se entender que é o caso, utilize um fone de ouvidos (preferencialmente com microfone), cuidando da aparência do fone e da sua com o fone ao longo da entrevista e não se esquecendo de ajustar sua entonação conforme a proximidade do microfone.

Boa comunicação é fundamental

Saber se comunicar bem é outro ponto decisivo na entrevista. O linguajar deve ser adequado. Evite erros gramaticais (como os de concordância) e jamais use gírias ou palavrões.

O primeiro passo para melhorar o desempenho na sua comunicação é se antecipar aos fatos, ou seja, analise os requisitos da vaga desejada e coloque-se no lugar do(a) recrutador(a): pense sobre quais perguntas provavelmente serão feitas na entrevista e prepare-se, com antecedência, para as respostas que pretende dar a elas. Por exemplo, se a vaga envolver vendas ou trabalho comercial, prepare seu histórico (se for o caso) de vendas realizadas, desafios com metas e elabore situações de vendas que possam envolver a vaga que está trabalhando ou mesmo situações improváveis que vão requerer argumentação adicional (como vender um copo sem fundo, cerveja para quem não bebe ou um celular que não aceita WhatsApp para uma pessoa).

Já sobre a parte gramatical, é necessário ter uma boa base e, se for o caso, voltar aos estudos. Uma dica é realizar a leitura de bons textos e gramáticas (lembrando que, atualmente, há muito material bom disponível na internet). Com isso, terá mais preparo para uma boa comunicação, sem cometer aqueles erros tolerados na comunicação do dia-a-dia. E, certamente, devem ser evitados erros de concordância (não usar o plural, como “os estudo”), trocas de palavras (como dizer “perca” quando o certo seria “perda”), além de usar termos que não existem (como “menas”).

Para muitos candidatos, o ponto fraco e que pode pôr tudo a perder é o equilíbrio emocional. O melhor é sempre manter a calma e, como em um agradável diálogo, responder as perguntas feitas pelo(a) entrevistador(a), falando de suas qualidades profissionais e das experiências adquiridas em sua trajetória profissional. Para isso, vale a pena reler o currículo antes do início da entrevista.

Cuidado com a ansiedade e com a apatia (ou falta de interesse)

É comum estar ansioso antes e durante uma entrevista, porém é preciso tomar cuidado para não transparecer nervosismo durante a conversa e nem depois. Da mesma maneira, é preciso evitar mostrar apatia, que pode ser interpretada como falta de interesse na vaga.

Evite linguagem corporal muito agitada, não interrompa perguntas que não foram concluídas (mesmo que seja para responder ou tirar dúvida da pergunta) e realizar perguntas de assuntos que poderão ser abordados pelo(a) entrevistador(a) durante o processo – se houver dúvida, aguarde o momento oportuno para tirá-las. Além disto, querendo saber os próximos passos do processo, espere o final da entrevista para perguntar e não coloque o(a) entrevistador(a) em uma situação de confronto como perguntando “até que dia você certamente vai definir a vaga” – neste caso, é melhor perguntar “você tem uma expectativa de prazo de conclusão do processo”. Aliás, se você está participando de um processo através de uma consultoria, como a PCD+, geralmente a devolutiva do processo é feito diretamente pela consultoria, então não precisa se preocupar – na dúvida, pergunte antes da entrevista para a consultoria quem responderá como você foi na entrevista.

Durante a entrevista, sempre procure falar olhando nos olhos da pessoa a quem estiver se dirigindo (ou para a câmera, especificamente, no caso de entrevistas por vídeo), mantenha uma postura o mais reta possível e com boa entonação (dependendo, claro, da sua condição), respondendo de maneira assertiva e evitando falar demais (sendo prolixo) ou de menos (sendo “curto e grosso”). Na dúvida, pergunte se foi claro na sua resposta. A entrevista não é apenas o momento de “se vender”, mas também de mostrar que sabe dialogar, entender perguntas e situações, explicar e responder de modo correto.

Não conte com o improviso. Prepare-se e faça uma excelente entrevista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *